7 coisas que não podem faltar em uma loja virtual de sucesso

É de grande conhecimento geral que o mercado de e-commerce está em franco crescimento já há alguns anos, e as previsões são de que se mantenha dessa forma durante mais um bom tempo. Afinal, comprar pela internet tem se tornado cada vez mais parte da rotina das pessoas e tem deixado de ser um “bixo de 7 cabeças” para os consumidores por diversas razões: praticidade, possibilidade de comparação de preços, preços mais baixos, etc.

Seguindo essa tendência, muitos empreendedores estão buscando seu lugar na internet com suas lojas virtuais. Mas muitas vezes acabam encontrando muita dificuldade na hora de planejar e de definir o que deve ser feito para ter uma loja virtual bem montada, estruturada e preparada para o sucesso.

Pensando nisso, nós desenvolvemos um checklist com os 7 pontos principais que devem ser levados em consideração na hora de planejar a sua loja virtual.

Esse post é útil para:

Quem está começando agora – saber definir quais os pontos principais de atenção e planejamento para fazer as coisas certas desde o começo

Quem já tem um e-commerce – revisar quais são os pontos importantes para o sucesso da operação e fazer ajustes onde for necessário.

Tenha esse checklist sempre por perto como material de consulta. Não tenha medo de investir um bom tempo analisando e pesquisando cada um desses itens, eles serão fundamentais para o seu negócio ser bem sucedido.

 

Domínio e hospedagem

Um e-commerce de sucesso começa com um bom nome de domínio (também chamado de URL), incorporando o nome da marca junto ao nome do produto, categoria ou posicionamento.

Ex: asroupasmaisbaratas.com.br, xptoacessoriosfemininos.com.br, livrosimportados.com.br

Depois de escolhido o domínio, vem a hora de definir onde ele será hospedado. De uma forma bem simples e direto, hospedagem é onde o seu site ficará “guardado” na internet e disponível para as pessoas acessarem.

No caso de lojas virtuais, dê preferência para serviços de hospedagem com alto desempenho em velocidade de navegação, disponibilidade no ar e segurança. É fundamental que sua loja virtual tenha um selo SSL. Ele previne tanto tentativas de invasão e roubo de dados quanto passa segurança para quem está comprando de que seus dados não serão roubados, o que acaba aumentando a conversão em vendas. Afinal, cliente seguro é cliente comprador.

 

Design e usabilidade

O design do seu site deve ser clean e agradável de se ver. Evite cores muito fortes e efeitos visuais desnecessários para não dispersar a atenção do usuário. Pesquise como são os layouts da sua concorrência para definir o que funciona e o que não funciona para o seu público.

Lembre-se que quem deve aparecer com destaque são seus produtos e promoções, e não efeitos de transição ou cores espalhafatosas em menos e outros elementos.

A sua loja virtual deve ser fácil de se navegar, com os itens de menu e categorias bem organizados e fáceis de serem encontrados. Segundo pesquisas, o seu produto não deve estar a mais de 2 cliques de distância da página principal.

Quanto mais cliques o usuário tiver que fazer para encontrar seu produto e finalizar a compra, menos ele vai comprar. Os processos devem ser claros, diretos e com informações precisas.

 

Checkout (ou finalização da compra)

Ter uma página de finalização de compras simples, rápida e com poucas etapas vai aumentar a sua conversão em vendas e diminuir a ocorrência de carrinhos abandonados (quando a pessoa adiciona produtos para comprar mas acabam deixando a loja virtual antes de finalizar a compra).

Nesse caso ter um selo SSL dentro do seu site vai ajudar muito no processo. Certifique-se de oferecer aqui também campos simples para cadastro do cliente e área para cupom de desconto.

Tenha botões chamativos para influenciar seu cliente a finalizar a compra. Use cores que tenha destaque e bastante contraste com o fundo do seu site para chamar mais atenção.

Os melhores checkouts são aqueles que tem todas as etapas e opções em uma só página, pois agilizam e facilitam a vida de quem está comprando. Vale a pena recordar que as pessoas compram pela internet também por não terem muito tempo disponível, por isso, quanto mais prático for o processo de finalização da compra, maior será a conversão em vendas.

 

Formas de Pagamento e entrega

Um os pontos que vai facilitar a vida de quem está comprando é oferecer as formas de pagamento corretas para o seu público. Basicamente se resumem a boleto bancário, cartão de crédito e débito, transferência bancária ou serviços de pagamento online como PagSeguro, PayPal, BCash, Mercado Pago, etc.

Se você optar por integrar sua loja virtual direto com a operadora de cartões de crédito, será necessário investir em uma estrutura de análise de risco e obrigatoriamente ter um selo SSL. No caso de boleto bancário, como ele não é passível de protesto, basta apenas integrar com a forma de emissão de boletos do seu banco.

Para usar os serviços de pagamento online tudo fica mais fácil. Normalmente eles já tem módulos de integração com as principais plataformas de e-commerce (iremos falar sore isso daqui a pouco) e basta instalar e fazer pequenas configurações. É recomendável ter o auxílio de um programador experiente para não ter erros nessa etapa e evitar problemas futuros.

No Brasil, a principal forma de entrega das lojas virtuais é o Correio. Se você atua em grandes centros, pode negociar parcerias com transportadoras ou outras formas alternativas de entrega (ex: motoboy).

 

Plataforma de gerenciamento de conteúdo (CMS)

No nosso blog tem um post falando mais sobre esse assunto, e aqui vamos abordar os pontos principais.

Existem diversas opções no mercado de plataformas prontas (alugáveis) e open source (de código aberto) para você fazer sua loja virtual. Todas elas tem suas características próprias e devem ser analisadas com cuidado para ver se atendem às suas necessidades de gestão e exibição dos produtos.

As plataformas alugáveis são hospedadas em servidores da própria empresa desenvolvedora, o que faz com que o dono do site não tenha acesso aos arquivos do sistema. Por outro lado o suporte e o desempenho são satisfatórios para quem não pode ou não quer trabalhar com programadores.

As plataformas open source são “gratuitas” para serem instaladas em qualquer servidor de hospedagem, mas devem ser personalizadas e configuradas de acordo com a necessidade de cada um. Nesse caso, é fundamental ter o acompanhamento de programadores ou empresas experientes para que tudo funcione corretamente. O dono do site tem acesso total aos arquivos e as possibilidades de personalização e adequação são quase infinitas, além de não ter o valor mensal de aluguel pelo uso da plataforma.

Existem diversas opções de plataformas gratuitas e eu recomendo, nessa ordem de importância, as seguintes:

  • Magento
  • WooCommerce
  • osCommerce
  • Prestashop
  • Open Cart

Como dito anteriormente, pesquise antes de escolher. Veja quais outras empresas utilizam a mesma plataforma, quais seus resultados em vendas, usabilidade por parte do cliente, segurança e robustez do sistema.

 

Otimização para motores de busca (Google)

Independente se você optar por uma plataforma alugada ou open source, elas já vêm preparadas em sua estrutura para serem otimizadas para serem bem posicionadas nos motores de busca, sendo o mais importante, o Google.

Esse é um tema mais técnico e que requer muita atenção, pesquisa e planejamento na escolha das melhores palavras-chave que deverão ser usadas nas páginas de produto da sua loja virtual, dentro outros fatores.

Se você não sabe o que é SEO (Serach Engine Optimization) ou não sabe fazer, é altamente recomendável que você procure ajuda especializada para que o seu negócio atraia visitantes compradores.

 

Plano de marketing

Ter uma loja virtual não significa que você terá vendas. Muito pelo contrário. Eu gosto de fazer o seguinte paralelo: ter uma loja virtual e não trabalhar a sua divulgação é o mesmo que você transferir sua loja física de lugar para o meio do mato e não avisar ninguém. Ou então, abrir uma linda loja no final do corredor menos movimentado dentro de uma galeria. Se as pessoas não souberem que você está ali e o que você vende, ninguém vai até você.

Alguns pontos principais que devem constar no seu plano de marketing:

– Redes Sociais: pesquise quais são as principais redes sociais do seu público alvo e crie um perfil da sua loja em cada um deles e interaja com eles;

– Youtube: produza vídeos explicando como funciona o seu produto, qual a melhor forma de uso, principais características, etc. Isso aumenta a viralização do seu conteúdo por seu compartilhável nas redes sociais.

– Anúncios: invista uma verba mensal pelo menos nos 6 primeiros meses de operação em compra de anúncios no Google Adwords, Facebook Ads ou em qualquer outro site muito acessado pelo seu público alvo. Ajude as pessoas a te encontrar.

– Parcerias com blogs: pesquise quais são os blogs mais relevantes para o seu negócio e negocie com eles parcerias para a produção de posts patrocinados (ou guests posts). Isso ajuda muito a atingir um público fiel e suscetível à indicação daquele formador de opinião dono do blog.

 

O planejamento de uma loja virtual vai muito além disso, como escolhe dos fornecedores, margem de lucro, estoque, equipe, etc. Mas com esses 7 pontos principais bem alinhados e planejados, já é possível tirar seu sonho do papel e explorar um mercado que só cresce.

E se você já tem uma loja virtual, revise seu planejamento e processos para ver onde pode ter melhorias para aumentar suas vendas.

Deixe um Comentário