Vendas online: e-commerce ou marketplace?

A procura por produtos para comprar pela internet aumentou muito nos últimos anos e não é preciso dizer que com a pandemia esse mercado está crescendo cada dia mais, certo? Muitas lojas físicas estão migrando para o online e isso fortalece e reafirma a importância dessa novo modelo de negócio: vender online. Mas chega na hora de abrir um negócio na internet vem aquela dúvida: será que devo investir em um e-commerce próprio ou melhor optar por um marketplace?

Independente do segmento dos seus produtos saiba que em ambos os formatos você terá muitos concorrentes e isso nem deve ser um assunto a ser pensado.

Diferenças entre e-commerce e marketplace

As diferenças entre ambos os formatos são poucas e raramente serão significantes o bastante para o consumidor ter uma preferência de onde comprar.

Para você, vendedor, as diferenças podem ser cruciais. A principal delas é ter um lugar próprio para falar dos seus produtos, características e história da sua marca.

Geralmente os e-commerces têm a cara da marca, detalhes que fazem a diferença se a persona do seu negócio for bem observadora e se apegar aos detalhes.

Por outro lado, os marketplaces é uma grande vitrine com milhares de pessoas acessando todos os dias e a probabilidade de venda seja maior, logo seus concorrentes também estarão mais perto.

No que um e-commerce necessita de um trabalho de formiguinha, conquistando seus clientes aos poucos, investindo em marketing digital e outras técnicas para atrair visitantes, o marketplace é um livro aberto para um cliente te encontrar, assim como encontrar outros vendedores. Nesse ponto, o seu produto precisa ter um diferencial para garantir as vendas.

O investimento para ter um e-commerce é maior do que colocar seus produtos a venda em um marketplace. Para colocar um site no ar e mantê-lo é necessários gastos mensais que não podem ser descartados, como um servidor, suporte, domínio e hospedagem, além de um número maior de colaboradores. Em contrapartida, o marketplace não requer gastos exagerados. Você é notificado sobre a venda, separa o produto e envia para o cliente.

Geralmente as marcas que escolhem trabalhar através de marketplaces não estão em um, mas em vários. O que precisa ser bem monitorada a questão de estoque para que não ocorram vendas a mais do que a quantidade de produtos disponíveis. É indicado que tenha um estoque para cada marketplace para não existir esse tipo de problema indesejado.

Qual devo escolher para o meu negócio: e-commerce ou markeplace?

Para definir qual formato é mais viável para o seu negócio será necessário analisar o objetivo principal dele, sendo criar uma marca com clientes únicos e expressivos ou vender sem gerar intimidade com seu cliente.

Um e-commerce próprio gera mais ‘amizade’ entre seu produto e o cliente, o que acaba sendo diferente no markeplace, onde as pessoas acessam para comprar de forma despretensiosa com a marca ou de onde o produto está vindo.

Os custos e formatos também devem ser avaliados com muita atenção para você tomar a decisão mais adequada para o seu tipo de negócio.

Mas saiba que muitos e-commerces fazem sucesso e muitos vendedores em marketplaces também. O formato não é o ponto chave para seus produtos venderem, mas a forma com que são oferecidos aos clientes.

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *